#UberXTáxis | Crítica

De alguns anos para cá, algumas palavras conhecidas com buzzwords dominaram nosso vocabulário, como por exemplo, o termo “disruptivo”. No mundo dos negócios, uma inovação “disruptiva” refere-se à algo que vai além do novo, do diferente, do moderno. É uma quebra de paradigmas que transforma irreparavelmente o seu meio. Netflix é um exemplo de plataforma disruptiva, assim como Spotify, iFood e uma das mais famosas e polêmicas inovações disruptivas da atualidade – A Uber!

Afim de destrinchar o que está envolvido nesse processo disruptivo da Uber, em especial no Brasil, o diretor Maurício Costa lança seu novo documentário, #UberXTáxis. É um extensivo trabalho que busca explorar o embate entre Táxi e Uber, sem nunca cair na armadilha de rasterizar o debate se apoiando no conflito de “tecnologia x retrocesso”. O documentário mostra que o imbróglio vai muito além disso, envolvendo políticas sociais, econômicas e tecnológicas, contando com depoimentos de taxistas profissionais, usuários, motoristas de Uber, políticos, advogados e representantes sindicais.

Para cada argumento, seja em favor da Uber ou dos táxis, há um contra-argumento que pode ter base jurídica, especulativa, ou até social. Não há heróis nem bandidos. Há pessoas defendendo o que acreditam ser correto, e um dos méritos do documentário é permitir que o espectador escolha o que defender… ou não! Há um momento do documentário onde as causas de ambos parecem se misturar numa amálgama de interesses em comum e muito disso vem de depoimentos de pessoas comuns, usuários e motoristas. Pessoas como você, eu, nosso vizinho. Afinal, é bem possível que você tenha um amigo, amiga, conhecido ou parente que seja ou motorista de Uber ou de táxi. Ou até mesmo você seja um deles.

A linguagem do documentário também ajuda nessa imersão ao debate. A estética que muito lembra o próprio aplicativo da Uber demonstra uma criatividade e promove uma linguagem moderno e fluida. O uso de time-lapses e panorâmicas obtidas com uso de drones dão a sensação de estarmos operando o aplicativo, vendo um mapa de brasília na tela. Aliás, esse recorte das ruas de Brasília foi algo que me distanciou do documentário, em especial entre os minutos ‘50 e ‘70 onde foca-se muito nos problemas de transporte público que são muito característico da cidade. Facilmente entendível para quem é de Brasília, mas talvez confuso para quem nunca pisou no Distrito Federal.

A trilha sonora também me causou estranhamento, ainda que faça sentido sua composição sintética, remetendo à trilhas de ficção científica, mas em certo momentos ela surge alta durante alguns depoimentos, se tornando uma distração.

Mas apesar do título do documentário ser #UberxTáxis, ele não se limita à uma única plataforma. Há inclusive embates interessantes entre os aplicativos como 99Taxis, Cabify e Uber, o que mostra o que debate está longe de ser uma luta por espaço nas ruas. Há também um tema muito rico que o documentário levanta que é sobre a segurança, especialmente, acerca de abusos sofridos por mulheres dentro de diversas modalidades de transporte urbano. É o momento mais tenso do documentário, que até gostaria de ver visto mais sobre, mas é compreensível que era necessária uma divisão equitativa do tempo de cada tema abordado.

#UberxTáxis é um belo trabalho de confronto de ideias. Um documentário que não visa denunciar e sim expor ao espectador que não existe progresso sem diálogo limpo e aberto. Agora só me resta aguardar ansiosamente pelo documentário #BolachaXBiscoito.


FICHA TÉCNICA:
Direção: Maurício Costa
Roteiro: Maurício Costa
Ano: 2017
País: Brasil
Gênero: Documentário
Duração: 106 min. / cor
Título Original: #UberXTáxis
Elenco: Chico Vigilante, Daniel Coelho, Márcio Fontes, Professor Israel, Rômulo Neves

About Fernando Machado

Apaixonado por música tanto quanto por cinema, comecei a minha cinefilia com minha mãe indo ao cinema para ver os filmes dos Trapalhões e do Jean-Claude Van Damme. A paixão veio forte quando assisti a Jurassic Park, com toda aquela esplendor visual mesclado com a trilha de Johh Williams. Hoje com a ajuda do Spotify detenho uma playlist com todas as trilhas sonoras que me marcaram e me fazem amar o cinema cada dia mais. Minha trilha preferida? Do filme Uma Lição de Amor de 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *