Crítica – GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL 2 (Guardians of the Galaxy Vol 2, 2017)

O primeiro GUARDIÕES DA GALÁXIA lançado em 2014 foi umas das maiores surpresas dessa nova onde de filmes baseados em super-heróis de história em quadrinhos. Isso por que já se discutia naquela época, se a famigerada fórmula dos filmes de super-heróis já não se esgotara. E o resultado dessa surpresa foi um sucesso colossal tanto de público quanto de crítica, o que colocou o filme como um dos melhores já produzidos pela Marvel Studios.

Agora em 2017, GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL 2 estréia sob olhares atentos de um público que parece esboçar um certo cansaço com filmes repetitivos e formulaicos, vide morna recepção a filmes como Doutor Estranho que seguem o padrãozinho de filmes da Marvel e favorável recepção a DEADPOOL e LOGAN que arriscaram algo diferente. Então a expectativa é a seguinte: será que GUARDIÕES VOL 2 vai inovar novamente ao fazer algo que foge dessa mesmice dos filmes recentes? A resposta é sim… e não!

O diretor James Gunn que é a mente por trás desse fenômeno chamado Guardiões da Galáxia repete a mesma fórmula usada no filme anterior – músicas dos anos 80, piadas o tempo todo, boa interação entre os personagens, muitas cores e uma história sem muita complexidade. Funcionou bem no primeiro e também funciona bem aqui de novo. Além disso, aqui James Gunn corrige algumas coisas que a mim incomodaram no primeiro filme, que são as piadas anti-climáticas. No primeiro filme há algumas cenas, em especial no final do filme onde encontra-se o clímax dele, onde as recorrentes piadas acabam tirando todo o impacto da cena, algo que aqui não acontece em momento algo. A cena final é catártica e James Gunn a mantem assim, mesmo contendo piadas pontuais em alguns momentos.

Outro acerto do filme é o recurso do 3D que aqui promove uma excelente profundidade de campo que é aprimorada pelo óculos 3D que explora o ambiente daqueles planetas extravagantes e coloridos por meio de belíssimas tomadas aéreas que nos dão a dimensão daqueles lugares. O visual do filme é realmente incrível e faz brilhar os olhos, e mesmo quando no segundo ato o ritmo caí drasticamente, ainda temos esse belo visual que ameniza a angustia em que o espectador fica para que a história ande de uma vez por todas.

O filme investe bastante tempo para desenvolver mais seus personagens e suas angustias, tristezas e medos, o que é bem interessante pois trás camadas para outros personagens que não são necessariamente os protagonistas do filme, mas o grande problema é que exatamente quando o filme dá espaço ao protagonista, Peter Quill (Chris Pratt) que é de longe o arco mais cansativo e sem ritmo do filme, que só melhora quando há interações como outros personagens como o lance verbalizado entre ele Gamorra ( Zoë Saldaña ) que continua muito divertido.

O restante do filme são piadas intercaladas com mais piadas (algumas surpreendentemente e interessantemente sujas) que arrancam gargalhadas de sua plateia. E sim, você vai rir bastante nesse filme. Mas não espere uma história com roteiro afiado, diálogos memoráveis, trama complexa ou mesmo grandes cenas de luta. GUARDIÕES VOL 2 preza mais pela diversão por meio de piadas do que qualquer outra coisa e a cena de abertura do filme deixa isso bem claro quando temos uma luta que parece bem interessante, mas James Gun não faz nenhuma questão de mostra-la. Ao invés disso, ele mostra o pequeno Baby-Groot dançando em frente a ação que fica desfocada em segundo plano. O recado foi dado – esqueça a história e foque nas piadas.

E quer saber de uma coisa? James Gun está certo! Ele quer nos fazer rir e consegue… ele quer nos fazer chorar… e consegue também… ele quer nos fazer sair da sala de cinema querendo comprar um Baby-Groot e consegue também. O filme pode se um filme que nem nos lembraremos mais dele até o final do ano, mas não muda o fato de que me diverti demais o assistindo, então que venho o Vol 3!

ps¹ – essa coisa de cena pós-crédito só serve para fã dos quadrinhos conjecturarem os próximos filmes, então se você não faz parte desse grupo, nem precisa perder seu tempo.

ps² – Stallone está bem demais. Tão bem que deveriam fazer um próximo filme dos Guardiões com ele.

ps³Mini spoiler, I’m so sorry, mas farão um Guardiões com Stallone segundo o carinha que estava atrás de mim e entendeu as referências jogadas no filme.


POSTERFICHA TÉCNICA
 
Direção: James Gunn
Roteiro: James Gunn.
Fotografia: Henry Braham
Trilha Sonora: Tyler Bates
Ano: 2017
País: Estados Unidos
Gênero: Aventura / Ação / Fantasia
Classificação: 14 anos
Duração: 136 min. / cor

Título Original: Guardians Of The Galaxy Vol 2

Elenco: Chris Pratt, Zoë Saldaña, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Kurt Russel.

 

 

 

 



Apaixonado por música tanto quanto por cinema, comecei a minha cinefilia com minha mãe indo ao cinema para ver os filmes dos Trapalhões e do Jean-Claude Van Damme. A paixão veio forte quando assisti a Jurassic Park, com toda aquela esplendor visual mesclado com a trilha de Johh Williams. Hoje com a ajuda do Spotify detenho uma playlist com todas as trilhas sonoras que me marcaram e me fazem amar o cinema cada dia mais. Minha trilha preferida? Do filme Uma Lição de Amor de 2011.


'Crítica – GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL 2 (Guardians of the Galaxy Vol 2, 2017)' has 1 comment

  1. 4 de agosto de 2017 @ 14:51 curso de manutenção de celular

    Adorei esse site. Ótimo conteudo. Abraço e muito sucesso

    Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.

Images are for demo purposes only and are properties of their respective owners.
Old Paper by ThunderThemes.net