Articles by Armando Miranda

Professor de Inglês há mais de 35 anos e, em meus fins de semana, há mais de 15 anos, venho escrevendo resenhas cinematográficas sobre um filme em cartaz na cidade de São Paulo. Como venho de família de cinéfilos inveterados, filmes de todas as tendências, procedências e dimensões fazem parte de meu cotidiano desde criança; entretanto, como não pertenço à área dos que produzem efetivamente obras para a "telona"ou que as analisam periodicamente para os meios de comunicação, sentia a vontade de conviver mais de perto com os amantes da Sétima Arte.


Critica Todo o dinheiro do mundo
0

“Todo o Dinheiro do Mundo”: Um Esforço Para Alcançar o Vento

Dentre as quase oito bilhões de pessoas vivendo sobre a superfície do Planeta Terra, há uma ínfima porcentagem de afortunados, provindos de algumas privilegiadas sociedades, ou seja, aqueles representantes das altas elites econômicas, que não levanta, ao raiar do dia, pensando  nas parcas chances de se ganhar e acumular maiores somas de dinheiro ou de…

The Post Critica Artecines
0

A Centelha da Verdade em “The Post – A Guerra Secreta”

Independentemente dos locais de projeção cinematográfica menos disponíveis da atualidade e dos hábitos volúveis dos espectadores não comprometidos com a Sétima Arte, por terem adotado visuais mais “contemporâneos”, o que parece não poder deixar de existir para que o Cinema cumpra sua função primeira e última é a preservação daquela insubstituível sensação de prazer do…

A Forma da Água Critica Artecines
0

Do Sonho ao Pesadelo de “A Forma da Água”

Não há chance alguma de se capitular integralmente às alegorias, aos símbolos, aos arquétipos se está viagem encantada, revestida de camadas mil de significâncias e subterfúgios, não for empreendida com “nonchalant” desprendimento de formas e formatos convencionais e com “anímica” entrega às impossibilidades lógicas e às incongruências racionais, aquelas que são cultivadas em uma obra…

Visages-Villages_Critica_Oscar
0

A Fulgência do Desconhecido em “Visages, Villages”

Quando será que foi mesmo que os humanos perderam suas características mais calorosas, mais gregárias, mais inegociáveis? Onde será mesmo que eles se embruteceram, se isolaram, se entristeceram? Por que será mesmo que não foi tentada a recuperação em regra do que sempre nos fez bem, nos preencheu, nos aperfeiçoou? Como será mesmo que os…

1

“Me Chame pelo Seu Nome”: Tênue, Gracioso e Arrebatador

Dentre todos os sentimentos ora edificantes ora aterradores que vivenciamos “sem querer”, a paixão é o que nos eleva e nos desatina com mais intenso deslumbre e com mais indelével duração: “Redimidos ou vitimados que somos por portá-la involuntariamente, ela logra erigir monumentos sublimes, assim como faz ruir castelos oníricos!” Dual por natureza, a paixão…

0

“Corpo e Alma”: O Lirismo Bizarro das Nossas Relações

Bizarrices podem vir “a compor ou a decompor” obras cinematográficas – ao bel prazer dos criadores desta arte eclética e inquieta – sem que sua flexível definição seja “corrompida” ou sua abrangência “inibida”; porém, o que seriam as tais bizarrices, mencionadas frequentemente por críticos em suas tentativas ora abalizadas ora elitizadas de entendimento de um…

0

“The Square: A Arte da Discórdia” | A Hipocrisia Nossa de Cada Dia

Ainda hoje em dia, quando se pensa, por minutos que seja, em Artes Plásticas, as primeiras imagens que aparecem em nossa mente são aquelas incorporadas por nossa memória das fabulosas obras clássicas, criadas, através dos séculos de mais volumosas e inegáveis abundâncias inventivas, pelos mestres indubitáveis da Pintura e da Escultura. Procurar diminuir o recorrente…

0

“O Motorista de Táxi”: Um Conflito Polarizado e Exposto

A tomada de consciência, quando se desconsideram os lados tendenciosos ou os direcionamentos parcializantes, acaba por se constituir em um rito de passagem sacrificado e doloroso que guarda semelhança aterradora com os “incontornáveis” partos induzidos ou com os “revanchistas” sacos de pancadas: “Sem pedir permissão expressa para adentrar os vestíbulos estanques e desocupados de nossa…

0

“120 Batimentos por Minuto”: A Resiliente Luta Contra a AIDS

Com o recrudescimento dos conservadorismos e das intolerâncias de um passado bastante recente, nosso tumultuado planeta está sendo forçado, por imposição das facções enraivecidas em conflito, a polarizações extremas e a fricções beligerantes; contrariando aqueles “futurólogos evolucionistas” que professavam, em décadas tachadas de utópicas ou tresloucadas, o florescimento das liberdades individuais e coletivas e a…

Images are for demo purposes only and are properties of their respective owners.
Old Paper by ThunderThemes.net